Facebook YouTube Twitter RSS

Gadgets

quinta-feira, 17 de março de 2016

Lixo acumulado ao lado de escola no Centro de Rosário pode estar servido de criadouro ao mosquito Aedes aegypti

Renato Waquim (Rosário Notícias)     março 17, 2016  11 Comentários

Lixão nas ruas pode contribuir para proliferação de doenças


As cenas de lixos espalhados e acumulados pelas ruas e terrenos baldios estão cada vez mais constantes em Rosário, principalmente em várias ruas do Centro e dos bairros. Isso é muito preocupante, pois com o forte período chuvoso e a possibilidade real de vários objetos no lixo acumularem água parada, tal situação tem sido apontada como principal motivo para a proliferação do mosquito Aedes aegypti, como todos sabem é o transmissor dos vírus causadores da Dengue, Febre Chikungunya e Zika. Um dos casos mais preocupantes ocorre ao lado de uma escola pública e uma rua residencial.


Nas imagens enviadas por pessoas que estão preocupadas com a situação, que ameaça a saúde e até a vida de muita gente. É possível observar claramente que o lixo se encontra ao lado do colégio Benedito Leite, na Rua Cel José Leite, no canto com a Rua Felipinho e entorno da Praça Governador Benedito Leite, em pleno Centro de Rosário, em uma área próxima da Avenida Dr. José Domingues que concentra um grande número de casos das doenças ligadas ao mosquito.


Este é um dos casos mais preocupantes, afinal, trata-se de uma escola pública, uma praça pública, ruas residenciais e uma agência do Banco do Brasil muito frequentada. São milhares e milhares de vidas sob risco da proliferação do mosquito, nesses casos não tem fumacê que resolva.

O dj Ratinho, tem uma venda na praça e conhece a realidade de perto, em contato com o blog Rosário Notícias (RN), disse que já não sabe mais para quem cobrar. "Já cobramos várias vezes, muita gente aqui já ligou para a Prefeitura recolher o lixo e a alegação que eles dão é que no momento não existe maquinário para fazer o recolhimento. O problema é que enquanto isso o lixão vai crescendo, mas eu não culpo os moradores, afinal, o caminhão de lixo acaba não entrando na Rua do Filipinho, por conta dos tubos que a Prefeitura colocou para não quebrar a pavimentação frágil de cimento. Por conta disso, os moradores são obrigados a jogarem lixo no canto e aí pessoas de outros lugares acabam trazendo também o seu lixo, aí vem alguém e joga entulho e troncos de árvores, 'vira uma bola de neve', um problema sério de saúde, não só para os estudantes e moradores, como para todos nós que frequentamos a região, inclusive os usuários do banco, mototaxistas. Então, fica o meu apelo para que este problema seja logo sanado", disse.

, ,

11 comentários :

  1. O povo é mal educado mais falta a prefeitura fazer a parte dela também porque se não tira só aumenta

    ResponderExcluir
  2. Rosário tem geito falta é prefeito

    ResponderExcluir
  3. nossa cidade ta bandonada triste de mais

    ResponderExcluir
  4. SITUAÇÃO LAMENTAVEL MAS ESPERO QUE SEJA LOGO SANADA AGORA QUE TEVE PUBLICIDADE

    ResponderExcluir
  5. Enquanto isso Pedro Vasconcelos anda desfilando com o dinheiro público que era pra fazer benfeitorias em Rosário

    ResponderExcluir
  6. Sei que o povo tem culpa mais a prefeita tem muito mais por que não faz a parte dela antes de cobrar o povo ela tem que fazer por onde

    ResponderExcluir
  7. A resposta será dada nas urnas podem anotar a tacar que essa desprefeita vai levar

    ResponderExcluir
  8. Isso porque é no Centro imagina nos bairros, aqui onde eu moro tem um horrível e também a gente liga pede e nada de tiarem e o povo vai só aumentando é um horror aqui no São Simão

    ResponderExcluir
  9. SE A PESSOA JOGO LIXO NA RUA IMAGINA COMO NÃO É A CASA DELA

    ResponderExcluir

Blog de Notícias de Rosário e Região


Os comentários não representam a opinião deste blog, a responsabilidade é única e exclusiva dos autores das mensagens.

Recent comments

Social

Recent Comments

Apagar

Últimas postagens

Deixe o seu recado

Advertise Here

Photography

Destaques

Gallery

RN no Facebook

About Us

Tempo