Blogue de notícias com a credibilidade que você merece!

César Pires propõe Moção de Repúdio contra a paralisação das obras da BR-135

Jacqueline Heluy/Agência Assembleia



O deputado César Pires (DEM)  destacou na sessão de quarta-feira (6), que embora seja um assunto muito batido no plenário da Assembleia Legislativa, a duplicação da BR-135 traz consequências graves não apenas aos parlamentares, mas, principalmente, à sociedade maranhense. Ele cobrou mais empenho da classe política e do Governo do Estado, junto ao governo federal, pela continuidade da obra.

César Pires comparou a paralisação das obras da BR-135 à mesma situação da refinaria Premium. Lembrou que há dois anos subiu à tribuna para falar do desmonte e desmantelo que presenciou ao visitar o local em que deveria ser construída a refinaria. Disse que naquela ocasião anunciou o fracasso que estava por vir, além de reclamar da leniência e do silêncio de muitos políticos e de vários segmentos do estado. César chegou a chamar a refinaria de “esqueleto desidratado”.

O deputado César Pires disse que não minimiza a importância da vinda do superintendente regional do DNIT à Assembleia para prestar esclarecimentos, mas que até agora não ouviu, por parte do governo do Estado e nem da bancada federal, manifestações contrárias a esta paralisação.

César Pires sugeriu que a Assembleia Legislativa se manifeste com uma Moção de Repúdio ao governo federal e à presidenta Dilma. ”Se não gritarmos, fiquem certos de que o que sobra do recurso desse contingenciamento irá para outros estados, não virá para o Maranhão”.

Ele comparou a apatia da classe política com relação à paralisação da obra de duplicação da rodovia ao silêncio dos monges franciscanos. “Nada, apenas orações e silêncio. Os gritos desta Casa nós não escutamos. Não sei com medo de quê”, disse César.

Na avaliação do deputado César Pires, este silêncio é algo que ultrapassa os limites das fronteiras partidárias e das cores políticas. Ele avalia que o interesse tem que ser coletivo e recriminou os discursos isolados. “Vou propor uma Moção de Repúdio ao governo federal e fazer como fizeram em Alagoas, onde o Rotary se manifestou, o Lions Clube se manifestou, as maçonarias se manifestaram”.

Na avaliação de César Pires, o pouco recurso que o governo federal disporá do seu contingenciamento só vai para aqueles estados que gritam mais e não para aqueles que ficam em silêncio como se estivessem aceitando os mortos. “Temos que lutar em relação a isso, caso contrário não vamos ser escutados e os nossos apelos não terão ecos. Consequentemente os recursos irão para outro lugar”.

APARTES

O discurso de César Pires durante a sessão foi aparteado por vários parlamentares que se solidarizaram à luta pela duplicação da BR-135. O deputado Hemetério Weba (PV) disse que 2012 o assunto é destacado na Assembleia e apesar de tudo, a obra parece que está “sendo construída a passos de jabuti”.

Segundo Hemetério, as obras no Maranhão não vão bem e a mesma lentidão na BR-135 é observada na rodovia 222, de Arari até Vitoria do Mearim e Santa Inês, onde são encontrados muitos buracos. “Esse DNIT tem que ir para frente, nós, deputados, cobramos, mas o governo federal tem que fiscalizar. Quem comanda o DNIT no Maranhão sinceramente está deixando a desejar, porque nós não temos estradas para trafegar”.

Também em aparte, o deputado Edivaldo Holanda (PTC ) lembrou  que por várias vezes  ocupou a tribuna durante o seu mandato no governo Roseana Sarney para denunciar que a refinaria Premium era uma  farsa, que não existia e que era um estelionato eleitoral. “Não havia recurso desde o primeiro momento para a Refinaria Premium. Tudo o que dizíamos à época foi confirmado. A refinaria nunca existiu”.

César Pires retomou o discurso agradecendo os apartes e informando que quando esteve na liderança do governo cobrou dos senadores do Maranhão uma nota do Governo do Estado e da Assembleia Legislativa com relação à lentidão dessas obras. Ele disse não ser possível o estado do Maranhão, que deu a maior proporcionalidade de votos para o governo atual, ter como resposta as obras paradas. “Nem o aeroporto está concluído ainda”.

Por fim, fez um apelo para que todos façam um esforço conjunto para que os recursos do contingenciamento que restou sejam utilizados em obras do Maranhão.
Share on Google Plus

About Renato Waquim (Rosário Notícias)

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários:

Postar um comentário

Blog de Notícias de Rosário e Região


Os comentários não representam a opinião deste blog, a responsabilidade é única e exclusiva dos autores das mensagens.